domingo, 16 de maio de 2010

Plano de Aula - "Descobrindo as cores primárias e secundárias"


 
1.    Objetivos:
 
·         Apresenta as cores primárias (Azul, Amarela, e Vermelha) e 
as cores secundárias ( laranja, violeta e verde);
·         Familiarizar as crianças com o manuseio de tintas e pinceis;
·         Incentivar a exploração e experimentação;
·         Estimular as crianças a propor, opinar e argumentar.
·         Explorar a criatividade.
·         Perceber e respeita as diferenças.
 
 
2.    Conteúdos: 
 
Apresentar as cores primárias (Azul, Amarela, e Vermelha) e através da 
experimentação apresentar as cores formadas através de duas cores primárias
 ou seja as cores secundárias ( laranja, violeta e verde).
Fazendo assim que as crianças percebam que através dessas três cores 
podem surgir novas cores. 
 
4. Metodologia aplicada: 
 
Primeiro momento
 
Nessa conversa inicial a professora irá ler o texto “Uma história de cores”. Durante a história 
a professora irá conversa com as crianças fazendo com que elas falem sobre as cores que 
conhecem, o que sabem sobre elas, que cor elas estão vestindo.
 Através dessa história o professor poderá também discuti sobre as diferenças, pergunta
 para as crianças se elas brincam com seus vizinhos? De que elas brincam? Se algum
 vizinho novo aparecer se elas o chamam para brincar? 
Ao termino do texto o professor perguntará se realmente o que aconteceu na história é
 possível. Será? Será que misturando azul com amarele dá a cor verde? Será que 
misturando o amarelo e vermelho dá a cor laranja? E o azul com vermelho que cor será que dá?
 
Texto

Uma história de cores

Era uma vez uma família de Azuis. O filho Azul vivia contente com a sua mãe Azul e com o seu pai, claro está, também ele Azul.
Na cidade, todos os seus vizinhos eram igualmente azuis e todos se sentiam muito orgulhosos com a sua bela cor, que era também a cor do céu e do mar. E os Azuis sentiam-se orgulhosos, achando-se belos e perfeitos, os vaidosos…
Mas, um dia, aquilo que os Azuis achavam impossível aconteceu. Chegou à cidade uma estranha, muito estranha, uma estranhíssima família de… Amarelos! O pai, a mãe, o filho e até mesmo a bem velhinha e curvada avó eram todos Amarelos, tão amarelos quanto o amarelo pode ser.
Seria possível que tal cor existisse?
Os Amarelos instalaram-se na casa que ficava mesmo ao lado da casa dos Azuis, e, curiosos, apressaram-se a espreitar e a observar pela janela tão estranhos seres.
Menos preocupado, o filho Azul, como qualquer criança, apenas queria saber se o filho Amarelo gostaria de jogar à bola. Sem perder tempo, bateu à porta dos seus novos vizinhos e
perguntou ao filho Amarelo:
— Queres vir brincar comigo?
E o filho Amarelo lá foi, sem pensar duas vezes, indiferente à cor da bola que, apesar de ser azul, rolava e saltava tão bem como as melhores bolas amarelas a que estava acostumado.
No entusiasmo do jogo e no frenesi da correria, depois de um passe mais acrobático e de uma defesa mais atrevida, o desastre aconteceu: o Azul e o Amarelo chocaram um com o outro, peito contra peito, num grande espalhafato.
E com a força do impacto, vá-se lá saber porquê, o Azul e o Amarelo ficaram… Verdes!
Olharam um para o outro, acharam graça e disseram:
— Olha, agora somos Verdes!
Na cidade, que grande pandemônio! Todos quiseram ver o fenômeno, incrédulos primeiro e indignados depois: não só apareceram os Amarelos, assim de repente, como agora surgiam também uns Verdes… Já começava a ser de mais…
Um pouco zangadas e espantadas e também muito preocupadas, as mães Azul e Amarela apressaram-se a levar os seus filhos Verdes para dentro de casa.
— Oh! Que desgraça! Vamos chamar o Doutor para ver se há remédio que vos
cure a cor… Mas, como não houve médico, cientista, engenheiro ou curandeiro que conseguisse tratar aquele mal,
o tempo passou e todos acabaram por se habituar aos Verdes, percebendo assim que muito havia ainda para descobrir sobre os mistérios das cores do Mundo. E foi por isso que, um dia mais tarde, quando apareceu na cidade um… Vermelho, ninguém estranhou!…
Misturámos o azul e o amarelo = VERDE.  E também o Vermelho com o amarelo deu um cor-de-laranja estranho!!!
Segundo momento:
O professor irá propor a experiência utilizando tinta guache. Dependendo do número de crianças a experiência poderá ser feita com toda a turma junta ou separados em grupos.
Para não sujar a sala o chão ou as mesas devem ser forradas com jornais velhos.
Separados em grupos o professor irá de mesa em mesa fazendo as misturas junto com as crianças.
Assim o professor irá juntar as cores primárias :
Azul + Amarelo;
Amarelo+ Vermelho;
Azul + Vermelho;
Surgindo respectivamente as cores secundárias: verde, laranja e violeta.
Terceiro momento
Após as misturas feitas o professor dará uma folha para as crianças pintarem com as cores produzidas. Nesse momento o professor deverá auxilia os alunos para que pintem corretamente as figuras.



8 comentários:

  1. Se tiverem a oprtunidade de aplicar essa aula com seus alunos não perca tempo. As crianças adoram mexer com tinta principalmente para descobrir cores novas. Eu apliquei essa atividade com crianças de 4 e 5 anos mas com a devida adptação ela pode ser aplicada com turmas do primeiro ao sexto ano tudo depende da sua criatividade. Quem tiver interessado posso dar dicas! bjs : )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adorei...sempre que puder estarei aqui revendo algumas atividades e dicas.

      Excluir
  2. ficou ótimo , preciso de um plano de aula de artes para o 6º ao 9º ano , trabalho de faculdade , vc tem alguma coisa que possa estar me ajudando . Desde já agradeço .

    ResponderExcluir
  3. Quem é o autor do texto uma historia de cores por gentileza???

    ResponderExcluir
  4. Adorei seu trabalho, mas estou precisando de plano de aula de artes com uso de tecnologia, voce teria alguma coisa? Obrigada e forte abraço!

    ResponderExcluir